Belém: o que ver, curtir e fazer?

22 de novembro de 2019 chat_bubble_outline 0 Comentários share
0
Shares

Cidade fundada em 1616 oferece diversas opções de lazer, atrações históricas, gastronomia e passeios

Créditos: Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan)

A época do fim de ano é um dos períodos de folga mais aguardados durante o ano inteiro. Então que tal aproveitar a chegada do verão e viajar? O Oficinas Online montou um roteiro na capital de Belém, no Pará. Vamos lá?

Mercado Ver-o-Peso

Um dos mercados públicos mais antigos do País, considerado como uma das maravilhas do estado e uma das sete maravilhas do Brasil.

As inúmeras barracas devidamente organizadas em setores desperta a curiosidade dos visitantes, reunindo centenas de frutas, peixes, ervas medicinais, temperos, doces, essências e artesanato, é considerada a maior feira livre da América Latina.

As barracas são agrupadas em tipos de produtos e os setores chamados de “avenidas” com os nomes dos materiais que vendem. Desta forma, há a avenida Farinha, a Camarões, a Maniva, entre outras.

O ambiente é perfeito para experimentar as exóticas frutas típicas e as delícias regionais, como o tacacá e o açaí com peixe.

Ilha de Algodoal

Uma pequena ilha no norte do Brasil pode ser o refúgio perfeito para dias inesquecíveis de descanso. Algodoal é uma das quatro vilas que formam a Ilha de Maiandeua, localizada no município de Maracanã, na região do Salgado, nordeste do Pará. Como Algodoal é a vila mais conhecida do local, e também a maior da ilha.

Conta com praias de grandes extensões de areia, manguezais, trilhas ecológicas, passeios de canoa e pesca esportiva, atrativos que impressionam os visitantes de Algodoal. Além disso, as festas noturnas da ilha são embaladas ao som de reggae e ritmos regionais, como carimbó e tecnobrega.

Partindo de Belém são cerca de 3 horas e meia até a comunidade de Maruda, no município litorâneo de Maracanã.

Basílica de Nossa Senhora de Nazaré

A Basílica de Nazaré foi erguida no lugar onde o caboclo José Plácido encontrou a santa em 1700. A santa fica no topo do altar, protegida por um vidro blindado. Na praça, em frente, há uma réplica, onde fiéis amarram fitinhas e fazem pedidos.

Além de ser um símbolo forte na cultura paraense, a Basílica chama a atenção pela arquitetura neoclássica. Foi construída em 1852, no mesmo lugar onde foi encontrada a imagem de Nossa Senhora pelo caboclo Plácido, às margens de um rio que hoje não existe mais na cidade, chamado Igarapé Murucutu.

Estação das Docas

Estação das Docas é um dos espaços que mais refletem a região amazônica. Referência nacional, o complexo turístico e cultural congrega gastronomia, cultura, moda e eventos nos 500 metros de orla fluvial do antigo porto de Belém. São 32 mil metros quadrados divididos em três armazéns e um terminal de passageiros.

Os três armazéns de ferro com estrutura inglesa, transformados em centro de entretenimento, ajudam a tornar ainda mais indispensável a visita ao complexo que reúne teatro, centro de exposições, artesanato, sorveterias e restaurantes.

E para quem estiver pela região e precisar de um reparo no veículo, Belém conta com 13 oficinas, todas de confiança cadastradas na plataforma Oficinas online. Acesse, é rápido e fácil!

Sem Comentários

comment Ainda não há comentários

Você pode ser o primeiro a deixar um comentário

Deixe seu comentário

Your data will be safe! Your e-mail address will not be published. Also other data will not be shared with third person.